Riquezas da gente: Wilson Alfredo Attuy

O propósito desta coluna é prestar uma singela homenagem á pessoas que se destacam na Promoção da Educação, Cultura e da História, do Desenvolvimento, dos Desportos, da Justiça e Segurança Pública, da Saúde, da Vida Comunitária, enfim, que sejam promotores de ações que

busquem elevar a auto-estima e qualidade de vida de seus semelhantes. Nessa edição apresentamos:

 

Wilson Alfredo Attuy, neto de imigrantes libaneses, hoje com 77 anos tem uma história repleta de significados. Casado há 50 anos com Dona Nenê, é pai do Wilsinho e José Eduardo.

Ainda em criança ganhou o apelido de “Chu”, forma reduzida de uma saudação libanesa que os amigos itapecericanos não sabiam pronunciar direito.

Nascido em Itapecerica da Serra, Chu, sempre encarou como oportunidades o que muitos chamavam de dificuldades. Num processo de aprendizado profissional, quase não teve tempo para estudar.

Aos 9 anos foi ser aprendiz de mecânico na oficina do seu Jair, onde hoje está o Banco Bradesco. Poucos anos depois, seu pai, Sr. Alfredo, comprou um barzinho, onde hoje é a padaria Central, onde Chu ficou tomando conta até que seu pai vendesse o pequeno comercio para comprar um caminhão.

Com este caminhão Chu aprendeu a dirigir e ajudou seu pai e família trabalhando na construção da BR 01, hoje a BR 116. Em pouco tempo, Chu foi aprendiz de mecânico, comerciante e motorista de caminhão.

De Itapecerica da Serra, já a partir de 1964, foi trabalhar como motorista de uma funcionária da contabilidade da prefeita Laurita Ortega Mari, sua curiosidade e facilidade com os números, chamaram a atenção do funcionário público taboanense Levi de Souza e Silva, que após uma avaliação técnica o contratou como auxiliar de contabilidade. Em Taboão da Serra, Chu serviu á prefeita Laurita Ortega Mari e ao prefeito Ari Daú.

Em 1969, seu círculos de amigos o ajudaram a eleger-se vereador em Itapecerica da Serra, para a 6ª Legislatura 1969/1972.

Sua experiência de vida em Taboão da Serra, com a compreensão com detalhes de um orçamento municipal, o colocaram como um dos vereadores mais atuantes e “encrenqueiro” que a cidade já viu.

Depois da vereança, já casado com Dona nenê, Chu se dedicou ao trabalho e a sua empresa de marcenaria Uirapuru. A sua fama de pesquisador sobre os delitos históricos cometidos por prefeitos da cidade o acompanham até hoje.

Chu teve papel importante na vitória eleitoral do ex prefeito Hélio Rubens e, também, do ex prefeito Lacir Baldusco.

Sempre polêmico e contundente, ele travou diversas batalhas pela preservação e recuperação de verdadeiros patrimônios históricos itapecericanos.

Entre suas lutas destaca-se a do prédio da Santa Casa de Misericórdia de Itapecerica da Serra, hoje a sede da Secretaria Municipal de Cultura. Porém, duas outras lutas são travadas por ele até hoje, o resgate do União Futebol Clube e do Ita Country Club.

Nos últimos 25 anos, Chu, tem travado homéricas disputas com os prefeitos que governaram a cidade.

Enfim, esse é um pequeno história desta verdadeira “Riqueza da gente” itapecericana. Nossa singela homenagem ao amigo Chu. Na foto ao lado do jornalista prof. Mário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *