Nossa História: Japoneses, os pioneiros do Pirajuçara

Um dos fatores mais importantes para a expansão do desenvolvimento do Vale do Pirajuçara, de Embu das Artes, passando por Taboão da Serra, Ferreira, Vila Sônia, Butantã até o desemboque do córrego que deu nome à região, no Rio Pinheiros, foi a Colônia Japonesa.

Os japoneses chegaram ao Brasil a partir de 1908, com o desembarque de 165 famílias no Porto de Santos, do navio Kasato Maru.

No Vale do Pirajuçara em Taboão chegaram para cultivar legumes e verduras, após rejeitarem o trabalho quase escravo nas lavouras de café do interior paulista, as famílias Hosoki, Taizo Kakimura, e alguns jovens solteiros, Kizaemon Takeuti, Kohei Hidaka, Kunishi Yamahata, Naokiti Yamahata, Tokunossuke Kawabata, todos vindos em 1924, um dos núcleos imigratórios mais antigos do Brasil. No ano seguinte (1925) juntaram-se a eles Kiyomasa Okada, Suejiro Takeuti e Kiku Takeuti (esposa de Kizaemon); estes são considerados os pioneiros da imigração na região.

Kizaemon Takeuti, produtor de batatas no atual Jardim Roberto, e um dos ‘pais’ de batismo do chamado “Cinturão Verde” de São Paulo, tem o nome imortalizado na principal via pública do vale do Pirajuçara, estrada que ele ajudou a construir com as próprias mãos. Mas nos anos 1930 a estrada já teve outro nome: Estrada dos Oliveiras; em 1970 mudou para Estrada do Pirajuçara, e finalmente, Estrada Kizaemon Takeuti, por força do Decreto nº 036/70, do então prefeito Ary Dáu.

Um dos filhos mais ilustres de Kizaemon e de Taboão da Serra, foi sem dúvida Mituzi Takeuti. Agricultor, Oleiro (produtor de tijolos), e depois, Vereador ainda pelo Município de Itapecerica da Serra, antes da Emancipação de Taboão, Vice-Prefeito de 1969 a 1972. Ele faleceu em 03 de janeiro de 2010, sendo merecedor de muitas homenagens. Nascido em 1927, tinha 82 anos quando nos deixou para entrar para a História de Taboão da Serra.

Com a queda da agricultura nos anos 1970 a 1980, as propriedades dos japoneses foram sendo desativadas e vendidas para loteamentos que hoje dominam a paisagem do Vale do Pirajuçara.

(Edição Márcio Amêndola- Com informações dos sites Taboão em Foco, O Taboanense e Jornal Folha do Pirajuçara, Taboão História e Memória, acervo Waldemar Gonçalves, Memória dos 75 anos da imigração japonesa em Pirajuçara, Augusto Yamazato, em matéria especial para o Hora Exata, em parceria o Taboão Digital)

Na foto: KIZAEMON TAKEUTI (À ESQUERDA) COM SUA FAMÍLIA, NA LAVOURA NO PIRAJUÇARA (ACERVO DE WALDEMAR GONÇALVES)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *